terça-feira, 30 de abril de 2013

O Poder da Prece



A prece é um ato de adoração. Orar a Deus é pensar Nele; é aproximar-se Dele; é pôr-se em comunicação com Ele.
Aquele que ora com fervor e confiança é mais forte contra as tentações do mal, e Deus envia-lhe bons Espíritos para assisti-lo. É um auxílio que nunca é recusado, quando é pedido com sinceridade.
O essencial não é orar muito, mas orar bem. Certas pessoas crêem que todo o mérito está na extensão da prece, enquanto fecham os olhos para seus próprios defeitos. A prece é para eles uma ocupação, um emprego do tempo, mas não uma análise de si mesmos.
Aquele que pede a Deus o perdão de seus erros não o obtém senão mudando de conduta. As boas ações são a melhor das preces, pois os atos valem mais que as palavras.

(Allan Kardec, "Revista Espírita", 01/1862)

segunda-feira, 29 de abril de 2013

As Aflições na Terra



As aflições na Terra são os remédios da alma; elas salvam para o futuro, como uma operação cirúrgica dolorosa salva a vida de um doente e lhe devolve a saúde. É por isso que o Cristo disse: "Bem-aventurados os aflitos, pois eles serão consolados."
Nas suas aflições, olhe abaixo de você e não acima; pense naqueles que sofrem ainda mais que você.
O desespero é natural para aquele que crê que tudo acaba com a vida do corpo; é um contra-senso para aquele que tem fé no futuro.

(Allan Kardec, "Revista Espírita", 01/1862)

domingo, 28 de abril de 2013

Objetivo do Espiritismo



O objetivo essencial do Espiritismo é o melhoramento dos homens. Não é preciso procurar nele senão o que pode ajudá-lo para o progresso moral e intelectual.
O verdadeiro Espírita não é o que crê nas manifestações, mas aquele que faz bom proveito do ensinamento dado pelos Espíritos. Nada adianta acreditar se a crença não faz com que se dê um passo adiante no caminho do progresso e que não o faça melhor para com o próximo.
O egoísmo, o orgulho, a vaidade, a ambição, a cupidez, o ódio, a inveja, o ciúme, a maledicência são para a alma ervas venenosas das quais é preciso a cada dia arrancar algumas hastes, e que têm como contraveneno: a caridade e a humildade.
A crença no Espiritismo só é proveitosa para aquele de quem se pode dizer: hoje está melhor do que ontem.

(Allan Kardec, "Revista Espírita", 01/1862)

sábado, 27 de abril de 2013

Exilados da Terra



Tendo a Terra chegado ao tempo marcado para tornar-se uma morada de felicidade e de paz, Deus não quer que os maus Espíritos encarnados continuem a trazer para ela a perturbação, em prejuízo dos bons; é por isso que eles deverão deixá-la: Irão expiar seu empedernimento em mundos menos evoluídos; onde trabalharão de novo para seu aperfeiçoamento em uma série de existências mais infelizes e mais penosas ainda que na Terra. Eles formarão nesses mundos uma nova raça mais esclarecida, cuja tarefa será levar o progresso aos seres atrasados que neles habitam, pelos conhecimentos que já adquiriram.
Só sairão para um mundo melhor quando tiverem merecido, e assim por diante, até que tenham atingido a purificação completa: se a Terra era para eles um purgatório, esses mundos serão seu inferno, mas um inferno de onde a esperança nunca está banida.

(Allan Kardec, "Revista Espírita", 01/1862)

sexta-feira, 26 de abril de 2013

O Capital dos Minutos



No tamanho da Terra, em toda parte, surge a erva daninha.

Aqui, chama-se tiririca (
erva daninha), além é joio imprestável, mais adiante guarda o nome de escalracho destruidor.

No fundo, é sempre mato inculto, impedindo a germinação da boa semente e consumindo a vitalidade do solo.

Extensos tratos de gleba proveitosa permanecem dominados por essa relva improdutiva e renascente, onde tanta árvore generosa poderia crescer e produzir para a alegria e segurança de todos.

Referimo-nos a esse elemento invasor para lembrar o vosso valioso capital dos minutos.

Quanta felicidade poderemos plantar com a bênção de meia hora? Quanto estudo nobre investir-nos-á na posse de elevados conhecimentos com apenas alguns instantes de leitura e reflexão?

Dez minutos na conversação digna ou na visita confortadora podem operar a renovação de muitos destinos. Um quarto de hora na assistência aos enfermos ou no trabalho gratuito em favor do próximo consegue prodígios na vitória do bem.

Entretanto, contra a plantação de semelhantes recursos nas leiras do tempo, encontramos a tiririca da maledicência, o joio do azedume verbal e o escalracho das críticas ociosas fantasiadas de interesse pela salvação apressada dos outros...

No fundo, porém, é sempre a conversa inútil que aniquila as mais nobres oportunidades de serviço e progresso.

Não
esqueçamos o capital dos minutos, a riqueza capaz de comprar-nos a sublimação para a vida eterna, se atendermos à edificação da verdadeira fraternidade.

E com os talentos do amor e da fé, procuremos servir sem repouso, recordando a afirmação do Mestre Divino:

“Meu Pai trabalha até hoje e eu trabalho também”.


Autor: Scheilla - Psicografia de Chico Xavier

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Seja Compreensivo



 Não se esqueça de usar a bondade em circunstância nenhuma da sua vida.

Vença a violência, antes que ela o deixe vencido.

Sorria ante o ofensor e esqueça-lhe a ofensa.

Revidar mal por mal, a pretexto de ser verdadeiro, é aprimorar a maldade que predomina na sua natureza, fazendo-o mais infeliz.

Recorra à oração e confie no tempo, quando as coisas se apresentarem diferentes do que você espera.

Infeliz, realmente, é todo aquele que acredite ser hoje o tempo único, buscando resolver agora, o que só mais tarde será solucionado naturalmente.

Não duvide da justiça divina, apenas porque não a consegue entender, na precipitação dos seus raciocínios apaixonados.

Você não é o único que tem problemas no mundo.

O maior problema da atualidade é o homem em si mesmo, e somente quanto este se volte para os valores mais altos da vida se equacionará.

Não transfira, portanto, para os outros, a responsabilidade do que lhe sucede de errado ou desagradável.

Você é filho de Deus, e, como afirmou Jesus, nenhuma das criaturas que o Pai Lhe confiou Ele deixaria perder-se.

Acalme-se e avance com a luz da consciência tranqüila, sem intentar fazer da sua claridade uma chama pronta a arder em volta, provocando devastação.


Autor: Marco Prisco - Psicografia de Divaldo Franco

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Esquecimento de Vidas Passadas



O esquecimento das existências anteriores é uma graça de Deus que, em sua bondade, quis poupar ao homem lembranças frequentemente penosas. Em cada nova existência, o homem é o que ele fez de si mesmo; é para ele um novo ponto de partida - ele conhece seus defeitos atuais, sabe que esses defeitos são a conseqüência dos que tinha, tira conclusões do mal que pôde ter cometido, e isso lhe basta para trabalhar, corrigindo-se. Se tinha outrora defeitos que não tem mais, não tem mais que preocupar-se com eles; bastam-lhe as imperfeições presentes.
 
(Allan Kardec, "Revista Espírita")

terça-feira, 23 de abril de 2013

Mudança de Rumo



Quando nos preparamos para a esta vida voltar, expectativas, promessas, acertos nos envolvem, nos estimulam, nos enchem de certezas.

 Quando aqui chegamos e a nossa luta se inicia, iniciam-se também o nosso livre arbítrio, os nossos temores, as incertezas e, principalmente, o acomodamento à rotina, aos costumes, à vivência falha e cheia de ilusões que por nós espera, aqui na Terra.

 Então, tudo a que nos propusemos, começa a ruir, a se complicar. Vivemos o nosso dia-a-dia como pessoas sem passado, sem compromissos, almejando sempre um futuro brilhante, feliz e, se possível, com grandes realizações emocionais, financeiras e profissionais.

 Então, esta falta de cumprimento dos princípios a que nos propusemos, leva o nosso planeta ao desequilíbrio.

Violência, irmãos lutando entre si por divergências religiosas, apropriação de espaços, conquistas, poder em nome de leis absurdas, criadas pelo homem sem nenhum discernimento, ou somente com uma pequena dose de inspiração ou intuição do amor de Deus.

 Falhamos, falhamos sempre. Ao acertarmos a nossa vinda, ao não cumprirmos o acertado e ao contribuirmos para o caos que se instala entre nós.

Que podemos esperar então na nossa volta ao mundo espiritual? Que consequências teremos que enfrentar? Quais serão as oportunidades de um retorno mais feliz, menos sofrido? Nada, nenhuma.

Reflitamos. Aproveitemos, nós que temos o conhecimento e o apoio da espiritualidade. Trabalhemos, reformemo-nos, cresçamos, equilibremo-nos enquanto encarnados para um mundo melhor.


Autor: Um Irmão de Luz - Psicografia de Chico Xavier

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Morte e Vida Além -Túmulo


Todas as religiões e todas as filosofias têm tentado explicar a morte; bem poucas lhe têm conservado o verdadeiro caráter.

 O Cristianismo divinizou-a; seus santos encararam-na nobremente, seus poetas
cantaram-na por uma libertação. Entretanto, os santos do Catolicismo só viram nela as exonerações da servidão da carne, o resgate do pecado, e, por isso mesmo, os ritos funerários da liturgia católica espalham uma espécie de terror sobre essa peroração, aliás, tão natural, da existência terrestre.

A morte é simplesmente um segundo nascimento; deixamos o mundo pela mesma razão por que nele entramos, segundo a ordem da mesma lei.

Algum tempo antes da morte, um trabalho silencioso se executa. A desmaterialização já está começada. Poderiam verificá-la por certos sinais, quantos rodeiam o moribundo, se não estivessem distraídos pelos fatos externos. A moléstia goza aqui de papel considerável. Ela acaba em alguns meses, em algumas semanas, em alguns dias, apenas, o que o lento trabalho da idade havia preparado: é a obra de “dissolução” de que fala o Apóstolo Paulo. Essa palavra dissolução é muito significativa: indica nitidamente que o organismo se desagrega e que o perispírito se “desliga” do resto da carne em
que estava envolvido.

Ninguém morre só, pela mesma forma que ninguém nasce só. Os invisíveis que o conheceram, que o amaram, que o assistiram aqui, em nosso orbe, vêm ajudar o moribundo a desembaraçar-se das últimas cadeias do cativeiro terrestre.

A desmaterialização está completa; o perispírito se desprende do invólucro carnal, que vive ainda algumas horas, talvez, de uma vida puramente vegetativa. Assim, os estados sucessivos da personalidade humana desenrolam-se em ordem inversa àquela que preside ao nascimento.

As Almas, por instinto infalível, vão para a esfera proporcionada a seu grau de evolução, à sua faculdade de iluminação, à sua aptidão atual de perfectibilidade.
As afinidades fluídicas conduzem-na, qual doce mas imperiosa brisa que impele um batel, para outras Almas similares, com as quais vai unir-se em uma espécie de amizade, de parentesco magnético; e assim, a vida, uma vida verdadeiramente social, mas de grau superior, reconstitui-se, tal qual outrora na Terra, porque a Alma humana não poderia renunciar à sua natureza. A estrutura íntima, sua faculdade de irradiação, lhe impõe a sociedade que merece.

As altas missões da Alma jamais cessam. Os Espíritos sublimes, que têm instituído e melhorado seus semelhantes na Terra, continuam em mundo superior, em quadro mais vasto, seu apostolado de luz e sua redenção de amor.
Conforme dissemos no início destas páginas, é assim que a História eternamente recomeça e se torna cada vez mais universal. A lei circulatória que preside ao eterno progresso dos Estados e dos mundos desenrola-se sem cessar em esferas e mundos cada vez mais engrandecidos; tudo recomeça no Alto, em virtude da mesma lei que faz tudo evolver no plano inferior. Todo o segredo do Universo aí está.

 
Autor: Léon Denis

domingo, 21 de abril de 2013

Finalidade da Existência

lindo bebe tomando banho

"A reencarnação tem como objetivos primeiros a

reeducação moral, o recondicionamento superior

das tendências e aptidões negativas que devem

ser canalizadas para metas elevadas, o

ressarcimento das dívidas e a aquisição dos

valores da inteligência e da moral.

Para tanto, o lar é de fundamental importância,

por ser o primeiro educandário do Espírito em

recomeço, numa aprendizagem que lhe fixará

diretrizes para toda a existência."



"As aquisições do amor, as ações do bem, o

esforço contínuo pelo auto-aprimoramento, as

lutas em favor da harmonia pessoal e do

próximo, contribuem para minorar as marcas do

erro, facutando mudanças no quadro dos

necessários resgates."



"É necessário que o homem desperte para as

responsabilidades mais altas, adquirindo

conhecimento, consciência da finalidade da sua

existência na Terra, passo inicial para a aquisição

dos progresso real, que é o intelecto-moral,

propiciador da legítima felicidade, afinal, a meta

e aspiração maior de todas as criaturas, embora

os diferentes e, normalmente, equivocados meios

de que a maioria se utiliza para alcançar o

mister."



Autor: Victor Hugo
Psicografia de Divaldo Franco

sábado, 20 de abril de 2013

Lei de Amor


 
Os efeitos da lei de amor são o melhoramento moral da raça humana e a felicidade durante a vida terrestre. Os mais rebeldes e os mais viciosos se reformarão, quando observarem os benefícios resultantes da prática deste preceito: Não façais aos outros o que não quiserdes que vos façam: fazei-lhes, ao contrário, todo o bem que vos esteja ao alcance fazer-lhes.
Não acrediteis na esterilidade e no endurecimento do coração humano; ao amor verdadeiro, ele, a seu mau grado, cede. E um ímã a que não lhe é possível resistir. O contacto desse amor vivifica e fecunda os germens que dele existem, em estado latente, nos vossos corações. A Terra, orbe de provação e de exílio, será então purificada por esse fogo sagrado e verá praticados na sua superfície a caridade, a humildade, a paciência, o devotamento, a abnegação, a resignação e o sacrifício, virtudes todas filhas do amor.


(Allan Kardec, "O Evangelho Segundo o Espiritismo", cap. XI)

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Ignorância e Estupidez



O reverendo Martin Luther King Junior, missionário do bem na Terra, certa feita afirmou:
Nada no mundo é mais perigoso que a ignorância sincera e a estupidez conscienciosa.
Reflitamos sobre estas palavras fortes.
A acomodação na própria ignorância, ou mesmo a opção por ela, é terrível mal para o Espírito em evolução.
Querer permanecer na ignorância é afastar-se do caminho da felicidade.
Querer permanecer na caverna das sombras, fazendo alusão aqui à alegoria platônica, é perder a chance de conhecer o sol e toda sua luz benfazeja.
A ignorância não pode ser objetivo de ninguém na Terra.
Aparentemente, esta pode trazer algumas vantagens, conforme afirmam alguns desavisados, mas não, não há benefício algum em permanecer nela.
Da mesma forma, a estupidez conscienciosa é chaga doentia para o homem e para a mulher que desejam crescer moralmente.
Errar conscientemente é construir sua própria prisão moral de dor permanente.
Optar pelos caminhos da crueldade, do egoísmo e do orgulho, tendo a consciência de que são trilhas prejudiciais a todos, é condenar-se à dor voluntariamente.
E quantos de nós, já esclarecidos pelos tesouros de uma religião, ainda optamos pelo mal voluntariamente!
Cada vez que proferimos palavras grosseiras, cada vez que espezinhamos a vida alheia gratuitamente, com comentários infelizes, estamos agindo no mal conscientemente.
Quantos de nós, ditos cristãos, não somos capazes de tolerar nem pequenos deslizes?
Quantos de nós, tendo capacidade de praticar o bem, escolhemos o caminho da acomodação, da indiferença, mesmo sabendo que os tempos são chegados, que a hora é agora!
Sim, a estupidez conscienciosa é perigo constante. Perigo de ver a vida passar por nós, e perdermos mais uma chance, depois de tantas que já recebemos da Misericórdia Divina.
Muitos de nós que aqui estamos, somos reincidentes no mal, e recebemos a bênção de nova oportunidade para que, desta vez, aproveitemos a encarnação para crescer no amor.
Temos, nesta vida, a última chance de nos colocarmos nas sendas do bem, de uma vez por todas, sem mais delongas, sem mais espera, sem mais razões para permanecer no comportamento morno dos covardes.
Os sinais dos tempos estão aí.
A grande transformação da Humanidade já se opera dia após dia, sem cessar.
Ou seremos os de alma adormecida, que deixaremos passar tal oportunidade, ou seremos os engajados nas mudanças, na nova era de amor e entendimento.
Notemos que os grandes da Terra sempre optaram pelo amor, pela caridade, pelo perdão.
Qual será a sua opção?
*   *   *
A Humanidade tem realizado, até ao presente, incontestáveis progressos.
Os homens, com a sua inteligência, chegaram a resultados que jamais haviam alcançado, sob o ponto de vista das ciências, das artes e do bem-estar material.
Resta-lhes ainda um imenso progresso a realizar: o de fazerem que entre si reinem a caridade, a fraternidade, a solidariedade, que lhes assegurem o bem-estar moral.
Já não é somente de desenvolver a inteligência o de que os homens necessitam, mas de elevar o sentimento e, para isso, faz-se preciso destruir tudo o que superexcite neles o egoísmo e o orgulho.


Redação do Momento Espírita, com pensamento final do cap. XVIII,
 item 5 do livro A gênese, de Allan Kardec

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Pureza de Pensamento



Aprendestes que foi dito aos antigos: “Não cometereis adultério. Eu, porém, vos digo que aquele que houver olhado uma mulher, com mau desejo para com ela, já em seu coração cometeu adultério com ela.” (Mateus, cap. V, vv.27 e 28.)
A palavra adultério não deve absolutamente ser entendida aqui no sentido exclusivo da acepção que lhe é própria, porém, num sentido mais geral. Muitas vezes Jesus a empregou por extensão, para designar o mal, o pecado, todo e qualquer pensamento mau, como, por exemplo, nesta passagem: "Porquanto se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras, dentre esta raça adúltera e pecadora, o Filho do Homem também se envergonhará dele, quando vier acompanhado dos santos anjos, na glória de seu Pai.” (Marcos, cap. VIII, v. 38.)
A verdadeira pureza não está somente nos atos; está também no pensamento, porquanto aquele que tem puro o coração, nem sequer pensa no mal. Foi o que Jesus quis dizer: ele condena o pecado, mesmo em pensamento, porque é sinal de impureza.

(Allan Kardec, "O Evangelho Segundo o Espiritismo", cap. VIII)

quarta-feira, 17 de abril de 2013

Página ao Jovem


Jovem amigo,


A oração possibilita-nos o intercâmbio espiritual. Devemos fazer uso dela sempre. Vejamos o seu valor a partir da história apresentada pelo Espírito Meimei.

"Num país europeu, certa tarde, muito chuvosa, um maquinista, cheio de fé em Deus, começando a acionar a locomotiva com o trem repleto de passageiros para longa viagem, fixou o céu escuro e repetiu, com muito sentimento a oração dominical.

O comboio percorreu léguas e léguas, dentro das trevas densas, quando, alta noite, ele viu, à luz do farol aceso, alguns sinais que lhe pareceram feitos pela sombra de dois braços angustiados a lhe pedirem atenção e socorro.

Emocionado, fez o trem parar, de repente, e, seguido de muitos viajantes, correu pelos trilhos de ferro, procurando verificar se estavam ameaçados de algum perigo.

Depois de alguns passos, foram surpreendidos por gigantesca inundação que, invadindo a terra com violência, destruíra a ponte que o comboio deveria atravessar.

O trem fora salvo, milagrosamente.

Tomados de infinita alegria, o maquinista e os viajores procuraram a pessoa que lhe fornecera o aviso salvador, mas ninguém aparecia. Intrigados, continuaram na busca quando encontraram no chão um grande morcego agonizante. O enorme voador batera as asas, à frente do farol, em forma de dois braços agitados, e caíra sob as engrenagens. O maquinista retirou-o com cuidado e carinho, mostrou-o aos passageiros assombrados e contou como orara, ardentemente, invocando a proteção de Deus, antes de partir.

E, ali mesmo ajoelhou-se, perante o morcego que acabava de morrer, exclamando em alta voz:

Pai nosso, que estás no Céu, santificado seja o teu nome, venha a nós o teu Reino, seja feita a tua vontade, assim na Terra como no Céu; o pão nosso de cada dia dá-nos hoje, perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores, não nos deixes cair em tentação e livra-nos do mal, porque teus são o Reino, o poder e a glória para sempre. Assim seja.

Quando acabou de orar, grande quietude reinava na paisagem.

Todos os passageiros, crentes e descrentes, estavam também ajoelhados, repetindo a prece com amoroso respeito. Alguns choravam de emoção e reconhecimento, agradecendo ao Pai Celestial que lhe salvara a vida por intermédio de um animal que infunde tanto pavor às criaturas humanas. E até a chuva parara de cair, como se o céu silencioso estivesse igualmente acompanhando a sublime oração."


Autor: Meimei - Psicografia de Chico Xavier

terça-feira, 16 de abril de 2013

Aflições



Perguntais se é licito ao homem abrandar suas próprias provas. Essa questão equivale a esta outra: é lícito, àquele que se afoga, cuidar de salvar-se? Aquele em quem um espinho entrou, retirá-lo? Ao que está doente, chamar o médico? As provas têm por fim exercitar a inteligência, tanto quanto a paciência e a resignação. Pode dar-se que um homem nasça em posição penosa e difícil, precisamente para se ver obrigado a procurar meios de vencer as dificuldades. O mérito consiste em sofrer, sem murmurar, as conseqüências dos males que lhe não seja possível evitar, em perseverar na luta, em se não desesperar, se não é bem-sucedido; nunca, porém, numa negligência que seria mais preguiça do que virtude.
Essa questão dá lugar naturalmente a outra. Pois, se Jesus disse: "Bem-aventurados os aflitos", haverá mérito em procurar, alguém, aflições que lhe agravem as provas, por meio de sofrimentos voluntários? A isso responderei muito positivamente: sim, há grande mérito quando os sofrimentos e as privações objetivam o bem do próximo, porquanto é a caridade pelo sacrifício; não, quando os sofrimentos e as privações somente objetivam o bem daquele que a si mesmo as inflige, porque aí só há egoísmo por fanatismo.

(Allan Kardec, "O Evangelho Segundo o Espiritismo", cap. V, Bem-Aventurados os Aflitos)

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Caridade



A caridade é a virtude fundamental, que deve sustentar todo o edifício das virtudes terrestres; sem ela, as outras não existem: sem caridade, não há fé nem esperança; porque, sem a caridade, não há esperança em uma sorte melhor, nenhum interesse moral que nos guie. Sem a caridade, não há fé, porque a fé não é senão um raio puro que faz brilhar uma alma caridosa; é a sua conseqüência decisiva.
Quando deixar o coração se abrir ao pedido do primeiro infeliz que vos estende a mão; quando lhe der, sem perguntar se sua miséria não é fingida, ou se o mal num vício lhe é causa; quando deixar toda justiça nas mãos divinas; quando deixar o castigo das misérias mentirosas ao Criador; enfim, quando fizer a caridade tão-só pela felicidade que ela proporciona, e sem procurar a sua utilidade, então, sereis os filhos que Deus amará e que ele chamará para si.
A caridade é a âncora eterna da salvação em todos os globos: é a mais pura emanação do próprio Criador; é sua a própria virtude, que ele dá à criatura.

São Vicente de Paulo / Allan Kardec

domingo, 14 de abril de 2013

Cada Qual


“Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo”. - Paulo. I
(Corintios, 12:4).

Em todos os lugares e posições, cada qual pode revelar qualidades
divinas para a edificação de quantos com ele convivem.
Aprender e ensinar constituem tarefas de cada hora, para que
colaboremos no engrandecimento do tesouro comum
de sabedoria e de amor.
Quem administra, mais frequentemente pode expressar
a justiça e a magnanimidade.
Quem obedece, dispõe de recursos mais amplos para
demonstrar o dever bem cumprido.
O rico, mais que os outros, pode multiplicar o trabalho
e dividir as bênçãos.
O pobre, com mais largueza, pode amealhar a fortuna
da esperança e da dignidade.
O forte, mais facilmente, pode ser generoso, a todo instante.
O fraco, sem maiores embaraços, pode mostrar-se humilde,
em quaisquer ocasiões.
O sábio, com dilatados cabedais, pode ajudar a todos,
renovando o pensamento geral para o bem.
O aprendiz, com oportunidades multiplicadas, pode distribuir
sempre a riqueza da boa-vontade.
O são, comumente, pode projetar a caridade em todas as direções.
O doente, com mais segurança, pode plasmar as lições
da paciência no ânimo geral.
Os dons diferem, a inteligência se caracteriza por diversos graus,
o merecimento apresenta valores múltiplos, a capacidade é fruto
do esforço de cada um, mas o Espírito Divino que sustenta
as criaturas é substancialmente o mesmo.
Todos somos suscetíveis de realizar muito, na esfera de trabalho
em que nos encontramos.
Repara a posição em que te situas e atende aos imperativos do
Infinito Bem. Coloca a Vontade Divina acima de teus desejos,
e a Vontade Divina te aproveitará.

Psicografia de Francisco Cândido Xavier - Autor Emmanuel

sábado, 13 de abril de 2013

Passado



Não mobilizes a memória 

em caminhos percorridos. 
O passado pode e deve ser
consultado
a fim de clarear 
as diretrizes do presente. 
Um momento de indagação, 
porém, não significa 
inércia no tempo. 
Ninguém estabelece
o próprio lar, 
por dentro de um museu.


Emmanuel / Chico Xavier

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Somente Você



Ninguém poderá carregar o fardo de suas dores.
Eduque-se com o sofrimento.

Ninguém entenderá os problemas complexos de sua existência.
Exercite o silêncio.

Ninguém seguirá com você indefinidamente.
Acostume-se com a solidão.

Ninguém acreditará que suas aflições sejam maiores do que as do vizinho.
Liberte-se delas com o trabalho de auto-iluminação.

Ninguém lhe atenderá todas as necessidades.
Subordine-se apenas ao que você tem.

Ninguém responderá por seus erros.
Tenha cuidado no proceder.

Ninguém suportará suas exigências.
Faça-se brando e simples.

Ninguém o libertará do arrependimento após o crime.
Medite na paciência e domine os impulsos.

Ninguém compreenderá seus sacrifícios e renúncias para a manutenção de uma vida modesta e honrada.
Persevere no dever bem cumprido.

Sábio é todo aquele que reconhece a infinita pequenez ante a infinita grandeza da vida. Embora ninguém possa servi-lo sempre, você encontrará um sublime Alguém, que tem para cada anseio de sua alma uma alternativa de amor.

Por você, Ele carregou o fardo do mundo...
Compreendeu os conflitos da vida...
Caminhou com todos...
Socorreu todos que O buscaram...
Matou a fome, saciou a sede e ouviu as multidões inquietas...
Atendeu à viúva de Naim, ao apelo materno em Caná...
Carregou a cruz da injustiça sem nenhuma reclamação...
Perdoou a traição de Judas, desculpou as negativas de Pedro e a ambos libertou do remorso com a concessão do trabalho em novos avatares...
Compreendeu as lutas da mulher atormentada, sedenta de paz; esclareceu o enfático doutor do Sinédrio, sedento de saber; arrancou das trevas o cego Bartimeu, sedento de claridade...
Ensinou que diante do amor todos os enigmas do Universo se aclaram, por ser o Pai Celeste a Suprema Fonte do Amor.
Não se imponha, pois, a ninguém.

Embora você dependa de todos, nada aguarde dos outros.
Receba e agradeça o que lhe chegue e como chegue, ajude e passe...

Aprenda que a luta é a lição de cada hora no abençoado livro da existência planetária, e siga adiante com Ele, que "jamais se escusava".



Autor: Marco Prisco - Psicografia de Divaldo Franco

quinta-feira, 11 de abril de 2013

A Luz em Ti



É um tesouro inigualável, teu somente. Ninguém dispõe dele em teu lugar. Nas horas mais difíceis, podes gastá-lo sem preocupação. Quando alguém te fira, é capaz de revelar-te a grandeza da alma, no brilho do perdão. No momento em que os seres mais queridos porventura te abandonem, será parte luminosa de tua benção. Ante os irmãos infelizes, é o teu cartão de paz e simpatia. Nos empreendimentos que te digam respeito ao próprio interesse, converte-se em passaporte para a aquisição das vantagens que desejes usufruir. No relacionamento comum, transforma-se na chave para a formação das amizades fiéis. Na essência, é um investimento, a teu próprio favor, que realizas sem o menor prejuízo. Esse tesouro é o teu sorriso, - luz de Deus em ti mesmo, - que nenhuma circunstância pode extinguir e que ninguém consegue arrebatar.


Autor: Meimei - Psicografia de Chico Xavier

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Teu Livro



A existência na Terra é um livro que estás escrevendo...
Cada dia é uma página...
Cada hora é uma afirmação de tua personalidade, através das pessoas e das situações que te buscam.
Não menos prezes o ensejo de criar epopeia de amor em torno do teu nome.
As boas obras são frases de luz que endereças à humanidade inteira.
Em cada resposta aos outros, em cada gesto para com os semelhantes, em cada gesto para com os semelhantes, em cada manifestação dos teus pontos de vista e em cada demonstração de tua alma, grafas com tinta perene, a história de tua passagem.
Nas impressões que produzes, ergue-se o livro dos teus testemunhos.
A morte é a grande colecionadora que recolherá as folhas esparsas de tua biografia, gravada por ti mesmo, nas vidas que te rodeiam.
Não desprezes, assim, a companhia da indulgência, através da senda que o Senhor te deu a trilhar.
Faze uma área de amor ao redor do próprio coração, porque só o amor é suficientemente forte e sábio para orientar-te a escritura individual, convertendo em compendio de auxílio e esperança para quantos te seguem os passos, VIVE, pois com Jesus, na intimidade do coração, não te afastes d’Ele em tuas ações de cada dia e o livro de tua vida converter-se-á num poema de felicidade e num tesouro de bênçãos.

Autor: Emmanuel - Psicografia de Francisco Cândido Xavier

terça-feira, 9 de abril de 2013

Silencia e Espera



No tumulto das inquietações da Terra, é provável encontres igualmente os desafios que se erigem por testes de compreensão e serenidade, no caminho de tantos companheiros de experiência.

Quanto possível, habitua-te a entesourar paciência, com a qual disporás de suficientes recursos para adquirir as forças espirituais de que necessitarás, talvez, para a travessia de grandes provas, sem risco de soçobro nas correntes do desespero.

Provavelmente ainda agora estarás suportando a incompreensão de pessoas queridas, em forma de prevenções e censuras indébitas; entretanto, se o assunto diz respeito unicamente ao teu brio pessoal, cala-te e espera.

Se amigos de ontem transformaram-se em adversários de tuas melhores intenções, tolera as zombarias e remoques de que te vês objeto e de nada te queixes.

Diante de criaturas que te golpeiem conscientemente a vida, impondo-te embaraços e desilusões, desculpa e esquece, renovando os próprios pensamentos na direção dos objetivos superiores que pretendas alcançar.

E ainda mesmo que agressões e ofensas te firam nos recessos da alma, sugerindo-te duros acertos de conta, à face da manifesta injustiça com que te tratem, não passes recibo nas afrontas que te sejam endereçadas e nada reclames em teu favor.

Não piores situações em que alguém te coloque, não te revoltes, nem te lastimes.

Silencia e espera, porque Deus e o Tempo tudo esclarecem, restabelecendo a verdade, e, para que os irmãos enganados ou enrijecidos na ignorância se curem das ilusões e das crueldades a que se entregam, bastar-lhes-á simplesmente viver.


Autor: Emmanuel - Psicografia de Chico Xavier

segunda-feira, 8 de abril de 2013

A Viagem do Autoconhecimento

Pássaros e flores.


Se não fosse a persistência desse grande vulto
que é Allan Kardec, o que teria sido de todos
nós? De mim, que despertei, realmente, com a
leitura do livro dos espíritos, do evangelho
consolador, para abraçar o mundo espiritual das
grandes verdades que a codificação encerra.

 Todo aquele que quiser ser espírita, tem de
deixar muito da sua ânsia de ser compreendido.

Não pode ser hipersensível, não pode mergulhar
nas susceptibilidades. Tem de ser, realmente,
fraterno e compreensivo. Porque todos nós
estamos na terra numa grande viagem, vocês
encarnados principalmente.

 Nessa grande viagem, vocês sofrem as condições
exteriores de agressões, de lutas, provas,
enfermidades.

Mas vocês estão, também, realizando uma
grande viagem interior. Vocês estão conhecendo
o caráter, a personalidade, os sentimentos que
vocês agasalham dentro da alma e do coração e
que só vocês conhecem.

 Essa viagem interior, que todos os espíritas
devem fazer, que se todas as criaturas a
fizessem seria muito bom, é aquela de auto
reconhecimento.

Sabemos que estamos caminhando, trazendo
muita coisa que podemos deixar pelos caminhos
da terra, para que as nossas almas sejam aladas
e consigam empreender o grande voo para o
cimo da Luz.

 Sem essa viagem interior com esses
permanentes bloqueios que nós teimamos em
fazer, não reconhecendo nossas falhas, nossas
dúvidas, nossos conflitos, nossas neuroses,
nossos traumas, transferindo sempre para o
exterior tudo o que sofremos - nós não
conseguiremos obter a nossa libertação.

 É preciso, meus filhos, viajarmos dentro de
nossa própria alma. Porque na grande viagem
reencarnatória, dependendo ou não de vocês,
vocês terão lutas e problemas, que, muitas
vezes, esse ponto de agressão, de sentimentos
inferiores. Mas, dentro do nosso espírito não,
somos senhores absolutos do que pensamos, do
que queremos, do que realizamos. Por isso, se as
nossas chagas interiores, só nos mesmos
podemos curá-las.

 Que o mestre, que com suas mãos chagadas
cura as chagas de nossas mãos, que nem
sempre trabalham pelo próximo e que, muitas
vezes, se feriram, ferindo semelhantes, que esse
mestre possa, com as suas mãos divinas,
acalentar a todos nós, na luz do seu infinito, do
seu imenso e bondoso amor.


Autor: Bezerra de Menezes - Psicografia de Shyrlene Campos

domingo, 7 de abril de 2013

Não Te Permitas

 


Creia-se ou não, o intercâmbio espiritual sucede, naturalmente, dentro das leis de afinidade que regem a vida.


Onde o homem estagie o pensamento e situe os valores morais, aí ocorrem os mecanismo da sintonia que facultam o intercurso espiritual.

Afinal, os Espíritos são os homens mesmos, desvestidos do invólucro material, prosseguindo conforme as próprias conquistas.

Quando atrasados, perseveram nos estados primeiros do seu processo de evolução; malévolos, continuam atados à malquerença; perversos, permanecem comprazendo-se nas aflições que promovem; invejosos, estagiam na paixão desgastante que os intoxica;

perseguidores, dão larga às tendências selvagens que cultivam;

odientos, ampliam o círculo em que estertoram, contaminando aqueles que lhes tombam nas armadilhas.

Assim também ocorre com os que vivem a beleza e o amor, fomentam o trabalho e as artes, exercitam as virtudes e promovem o progresso, entesourando conquistas relevantes, de que se fazem depositários, irradiando o bem e mimetizando as criaturas que lhes facultam a assistência benéfica.

Não te permitas, desse modo, deslizes morais.

Instaura o período da vigilância pessoal e vitaliza o dever na mente para exercê-lo nos sentimentos junto ao próximo.

Os que partem da Terra, fortemente imantados aos vícios, retornam ávidos, sedentos, ansiosos, tentando continuar o infeliz programa, ora interrompido, utilizando-se de áulicos afins que lhes cedam os órgãos físicos...

Em conseqüência, a caravana das vítimas-inermes, padecendo as rudes obsessões espirituais, é muito grande.

Liberta-te das paixões inferiores, trabalhando as aspirações e plasmando o futuro mediante a ação correta.

Muda os clichês mentais viciosos e renova as paisagens íntimas.

Faze a oração do silêncio, reflexionando sobre os reais valores da vida.

Vincula-te ao amor ao próximo, contribuindo de alguma forma para o bem de alguém, para o bem geral.

Sentindo açuladas as tendências negativas, desperta e reage, não te deixando hipnotizar pelos Espíritos perturbadores.

Sintoniza com Jesus, e Ele, o Amigo Incondicional e Libertador, virá em teu socorro, favorecendo-te com a paz e a alegria.


Autor: Joanna de Ângelis - Psicografia de Divaldo Franco

sábado, 6 de abril de 2013

Agora e Sempre



Senhor, dá-nos forças para que não venhamos a esmorecer na jornada que empreendemos ao Teu lado.

Ampara-nos a fim de que não desertemos dos nossos deveres de cada dia, mormente das tarefas que abraçamos na Doutrina que Te revive os ensinamentos para o mundo.

Inclina-nos à paciência, ensinando-nos a compreender e a perdoar os que ombreiam conosco nos diferentes caminhos da vida.

Disciplina-nos a palavra, para que não nos convertamos em instrumentos de pessimismo e desalento às almas invigilantes.

Guia-nos ao bem, de forma que as nossas mãos cultivem, em Teu nome, as sementes da esperança e da paz em todos os corações.

Senhor, faze-nos conhecer qual seja a Tua Vontade a nosso respeito e que possamos servir-Te com alegria, onde e como queiras, agora e sempre!...



Chico Xavier, Pelo Espírito Irmão José

sexta-feira, 5 de abril de 2013

O Mundo Está Perdido


Uma linda paisagem.

Nos dias atuais, devido aos acontecimentos infelizes que assolam o planeta, é muito comum ouvir as pessoas dizerem: O mundo está perdido!
Um olhar superficial pode, de fato,  causar essa impressão.
Mas o mundo não está perdido. O mundo está na mais perfeita harmonia. O sol cumpre sistematicamente o seu papel, sem alarde.
A Terra oferece todos os recursos da sua intimidade, que possibilitam a vida das criaturas, em constante harmonia.
As sementes germinam, a floração acontece, os rios seguem seus cursos e os animais atendem os objetivos que o Criador estabeleceu, com equilíbrio harmônico.
Portanto, o mundo não está perdido. O homem é que está perdido.
O homem é que se esquece da sua condição de filho de Deus e se debate na busca de ilusões que mais o distanciam da felicidade almejada.
Esquecido da sua condição de filho da Luz, o ser humano se atormenta nas trevas, e acaba se precipitando nos despenhadeiros dos mais variados vícios.
O mundo não está perdido...
Nós é que perdemos o rumo...
A Terra faz seus movimentos de rotação e translação, obedecendo às Leis do Criador.
Os astros giram no espaço infinito, dentro da mais perfeita sintonia com o pensamento Criador.
O sol dardeja ouro sobre a Terra, tornando possível a vida.
A chuva generosa cumpre seu papel...
O mundo não está perdido, nós é que estamos com a visão nublada e distorcida.
A nossa miopia moral nos faz perder a fé no Criador...
E as manhãs que se renovam sempre e sempre, como dádivas de Deus para o nosso crescimento, escorrem ligeiras pelas nossas mãos...
Os minutos preciosos que se repetem, incansáveis, são desvalorizados a ponto de servir apenas para a construção da nossa própria desdita...
Olhamos o mundo através das nossas lentes embaçadas pelo pessimismo e dizemos, alarmados: O mundo está perdido.
Se encontramos uma rosa no caminho, logo perguntamos: E o estrume, onde está o estrume?
Mas aqueles que têm os olhos lubrificados pela fé racional, dilatam o seu campo de visão e contemplam o equilíbrio do mundo.
Seus passos são ligeiros e decididos, pois a confiança em Deus os sustenta com o otimismo.
Se na caminhada encontram estrume, logo perguntam: E a rosa, onde está a rosa?
São pessoas assim que mudam o ambiente terrestre. Que fazem luz onde as sombras teimam em sobressair.
Sua confiança no Criador do Universo é, de tal forma, grandiosa, que jamais se deixam cair nas malhas do amolentamento ou do desânimo.
São pessoas que não reclamam do mundo, mas fazem do mundo, a cada dia, um mundo melhor.
Por isso, o mundo não está perdido...
O ser humano é que se perdeu por se distanciar do seu Criador...
Por se sentir o senhor do mundo...
Por relegar a segundo plano os valores morais...
Por se obstinar em construir sua felicidade pisando sobre as costas do próximo...
Quando o homem abrir os olhos, sair da casca do egoísmo e retirar a capa do orgulho, verá que o mundo tem um colorido diferente...
Enxergará as belezas naturais com que o Criador enfeitou a Terra e se deslumbrará diante do perfeito equilíbrio que impera em todo o Universo.
*   *   *
No reino da natureza, o ser humano é o único dotado de razão.
É o único ser capaz de questionar e entender o seu Criador.
E você, como ser humano, é o único capaz de enxergar algo além das aparências.
Não se deixe levar pelo pessimismo. Corrija o ângulo da sua visão, lubrifique-a com o óleo da fé em Deus e faça a sua parte para que o seu mundo íntimo possa ser a cada dia melhor.
Pense nisso!

Redação do Momento Espírita

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Semelhanças



A criança brincava distraidamente com a faca de cozinha.

Olhava com atenção seu reflexo luminoso.

Divertia-se em jogá-la com força, tentando cravar-lhe a ponta na terra fofa.

De quando em quando, lançava-a para cima, gargalhando ao vê-la cair próximo a seu corpo.

Outras vezes, passava o dedo ao correr da lâmina afiada.

Quando a mãe o surpreendeu assim, tomou-lhe imediatamente o instrumento perigoso.

Explicou-lhe com bondade o motivo de sua atitude.

Relacionou casos de crianças, que se feriram com tais brinquedos.

Apesar disso, entretanto, a birra foi enorme. Gritos e pinotes, embora a paciência da genitora. Quando a situação se tornou insuportável, medidas enérgicas foram tomadas, aprendendo a criança, por outros meios, o que recusara receber com brandura e carinho.

Fatos semelhantes ocorrem conosco.

Nos caminhos da vida, criamos problemas, que se constituem em verdadeiros perigos a nosso futuro espiritual.

Alimentamos situações, que nos ameaçam a evolução da alma.

Nutrimos fantasias incompatíveis com os interesses eternos.

Contudo, quando a Providência Divina interfere a nosso favor, suprimindo privilégios e ilusões, agimos qual a criança rebelde, reclamando e exigindo, até que a Sabedoria de

Deus, depois de nos lecionar com a misericórdia, resolva nos ensinar com a justiça.


Autor: Hilário Silva - Psicografia de Antônio Baduy Filho

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Para Ser Feliz



 Acorde todas as manhãs com um sorriso. Esta é mais uma oportunidade que você tem para ser feliz.
Seja seu próprio motor de arranque.
O dia de hoje jamais voltará. Não o desperdice. Você nasceu para ser feliz!
Enumere as boas coisas que você tem na vida. Ao tomar consciência do seu valor, será capaz de ir em frente com muita força, coragem e confiança!
Trace objetivos para cada dia. Você conquistará seu arco-íris, um dia de cada vez. Seja paciente.
Não se queixe do seu trabalho, do tédio, da rotina, pois é o seu trabalho que o mantém alerta, em constante desenvolvimento pessoal e profissional. Além disso, ajuda você a manter a dignidade.
Acredite, seu valor está em você mesmo. Não se deixe vencer, não seja igual, seja diferente, seja especial.
Quando nos deixamos vencer, não há surpresas, nem alegrias...
Conscientize-se de que a verdadeira felicidade está dentro de você. A felicidade não é ter ou alcançar, mas ser e doar-se.
Estenda sua mão. Compartilhe. Sorria. Abrace. Deixe-se envolver pelo afeto.
A felicidade é como um perfume. Você o passa nos outros e o cheiro fica um pouco em suas mãos.
E quando você se deixa envolver por essa fragrância especial, ao abraçar alguém deixa um pouco do seu cheiro, pois esse perfume é contagiante.
O importante de você ter uma atitude positiva diante da vida, ter o desejo de mostrar o que tem de melhor, é que isso produz efeitos colaterais maravilhosos.
Não só cria um halo de conforto para os que estão ao seu redor, como também encoraja outras pessoas a serem mais positivas.
O tempo para ser feliz é agora. O lugar para ser feliz é aqui!
A felicidade está ao alcance de todos, mas somente as pessoas especiais a têm alcançado. E sabe por quê?
Porque as pessoas especiais são aquelas que têm a habilidade de dividir suas vidas com os outros.
Elas são honestas nas atitudes, são sinceras e compassivas, e estão certas de que o amor é parte de tudo.
As pessoas especiais praticam a arte de se doar aos outros, e de ajudá-los com as mudanças que surgem em seus caminhos.
As pessoas especiais não temem dividir seus conhecimentos, compartilhar seus sonhos, suas alegrias.
Elas não têm medo de ser vulneráveis. Acreditam que são únicas e têm prazer em ser quem são.
As pessoas especiais são aquelas que se permitem a ventura de estar próximas dos outros e importar-se com a felicidade alheia.
Elas sabem que o amor é o que faz a diferença na vida.
As pessoas especiais são aquelas que realmente tornam a vida bela.
E você, também é uma dessas pessoas especiais? 
*  *  *
Todas as pessoas são especiais.
Todas foram especialmente geradas pelo amor do Criador do Universo, que enfeita o céu com as estrelas e coloca na intimidade de cada ser uma centelha de luz.
Compete a cada pessoa fazer brilhar sua própria luz, conforme o convite de Jesus.
Se você ainda tem alguma dúvida sobre que atitudes tomar para ser feliz, anote estas ligeiras dicas e as realize.
Em breve verá que novos horizontes se abrirão mostrando uma realidade diferente: a realidade das pessoas felizes.  

Redação do Momento Espírita

terça-feira, 2 de abril de 2013

Deus



Deus é eterno. Se tivesse tido princípio, teria saído do nada, ou, então, também teria sido criado, por um ser anterior. É assim que, de degrau em degrau, remontamos ao infinito e à eternidade.
É imutável. Se estivesse sujeito a mudanças, as leis que regem o Universo nenhuma estabilidade teriam.
É imaterial. Quer isto dizer que a sua natureza difere de tudo o que chamamos matéria. De outro modo, ele não seria imutável, porque estaria sujeito às transformações da matéria.
É único. Se muitos Deuses houvesse, não haveria unidade de vistas, nem unidade de poder na ordenação do Universo.
É onipotente. Ele o é, porque é único. Se não dispusesse do soberano poder, algo haveria mais poderoso ou tão poderoso quanto ele, que então não teria feito todas as coisas.
As que não houvesse feito seriam obra de outro Deus.
É soberanamente justo e bom. A sabedoria providencial das leis divinas se revela, assim nas mais pequeninas coisas, como nas maiores, e essa sabedoria não permite se duvide nem da justiça nem da bondade de Deus.

Allan Kardec, O Livro dos Espíritos, cap. I.

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Se Soubesses...



Lembra-te de que o ódio é o grande fornecedor das prisões, e de que a cólera é responsável pela maior parte das moléstias que infelicitam a vida e guarda o coração na grande serenidade, se te propões conservar em ti mesmo o tesouro da paz e a bênção da segurança.
Se a aflição te procura, cala e perdoa sempre, porque se o Mestre nos exortou ao amor pelos inimigos, também nos advertiu que a mão erguida à delinquência da espada, agora, hoje ou amanhã, na espada fenecerá...


Emmanuel / Chico Xavier